fbpx

Inteligência Artificial e o Profissional Contábil

  A Inteligência Artificial (IA) consiste em uma tecnologia em pleno desenvolvimento que veio para ficar, porém gera receios em muitos especialistas. Afinal, tendo em vista o profissional contábil, o que temer? Quais são os principais pontos que devemos observar?

  A IA aparenta ser uma tecnologia muito recente, porém não é. Seu surgimento remonta da década de 50 e possui vinculo direto com o próprio surgimento dos computadores. Como eles, ela também vem sofrendo melhorias desde então. Resumidamente é uma tecnologia que permite com que máquinas possam pensar, executar e tomar decisões como se fossem seres humanos.

  Na teoria, uma IA bem desenvolvida pode realizar a maioria das tarefas realizadas por humanos. Porém no cenário atual não é “uma IA” toda poderosa que consegue emular na integra um ser humano (não que esse dia nunca irá chegar), mas sim “Inteligências Específicas”, incumbidas de realizar “tarefas específicas bem delimitadas”. Em analogia a um contador, temos por exemplo uma “IA” que simplesmente emite DARFs, outra que preenche automaticamente a DCTF, outra que escritura documentos fiscais, outra que elabora demonstrações, etc. Softwares autônomos específicos para tarefas específicas. Não que não possam ser integrados em uma única solução, mas mesmo assim especialistas em suas particularidades.

   Interessante não? Sim, e muito! Mas parando um pouco para raciocinar naturalmente surgem questionamentos, pois existem pontos fortes e fracos, oportunidades e incertezas.

Inteligência artificial cenário atual

   Computadores erram muito menos que humanos, se perfeitamente programados não cometem erros (falhas nesse sentido seriam humanas, devido a limitação do desenvolvimento do algoritmo da tecnologia ou erros na programação do código) e também trabalham infinitamente mais rápido. Fazer melhor em menor tempo. Esse é um excelente ponto forte da IA.

   Nesse sentido, na área contábil/fiscal é gerada uma segurança muito bem-vinda, pois minimizar erros e cumprir prazos significa menos multas, tributos apurados e recolhidos corretamente e demonstrações certeiras.

  Outro ponto forte (ou não), um tanto quanto incerto, pode ser a redução de custos. Chegamos no seguinte raciocínio: Uma IA faz mais, melhor e mais rápido que um profissional, logo preciso de menos profissionais para realizar as tarefas.

   Ok, reduzimos custo implementando a IA e desligando profissionais, mas e o custo da própria IA? Pois é, não é tão simples quanto parece. Como qualquer nova tecnologia essa possui custo elevado, tanto de implementação quanto em manutenção. Nesse momento essa não é uma tecnologia ainda acessível para todos.

   Chegamos em outros questionamentos: Quem vai ensinar a IA? Quem vai parametrizar a IA? Vai ser o contador ou a empresa desenvolvedora do software? Que tal ambos. Sim, o profissional terá que se adaptar as novas tecnologias, precisará ter uma melhor capacitação em informática como um todo, indo muito além do tradicional pacote office, o que já podemos ver com clareza na denominação “Contador 2.0”. O profissional tem que se adaptar as novas tecnologias, e evoluir junto com elas.

Inteligência artificial benefícios

   Com o passar do tempo surgi um novo cenário de trabalho, onde o profissional poderá dedicar seu tempo ao que realmente traz benefícios para a organização, dedicando-se melhor para as tarefas gerenciais em detrimento as operacionais, essas quais as IA a médio prazo tem plena capacidade de exercer, mas aquelas ainda não, e capacidade de gerenciamento, criatividade e tomadas de decisões ainda são pontos fortes dos seres humanos, e assim continuará sendo ainda por algum tempo.

   É natural que o tema tire os profissionais de sua zona de conforto, mas é bom que isso aconteça a tempo de se adaptarem, comecem a investir em novas mentalidades e saberes. Tudo muda com o passar do tempo, estamos em constante evolução. Houve a revolução industrial, o surgimento da energia elétrica, dos computadores, e agora a expansão da IA. Tudo são fazes. Sempre é preciso adaptação para não ficar perdido no tempo.

   Outro ponto, e que fique muito bem claro, não se iludam e enxerguem a IA como um fator de mudança apenas nas áreas contábil/fiscal. Ela é muito mais que isso. Se estende a todas as profissões, à todas as áreas. Muito se fala no mundo todo sobre o assunto, muitos a temem, muitos a idolatram. O próprio presidente da Rússia, Vladimir Putin disse que “quem dominar a inteligência artificial governará o mundo”.

Gostou do nosso conteúdo?
Acompanhe os nossos canais de comunicação é não fique de fora dos principais assuntos dos meios dos negócios

Carlos Daniel de A. de Paula
Bacharel em Administração e em Ciências Contábeis pelas Faculdades Integradas de Jaú – FIJ, estudante de Engenharia da Computação pela Universidade Virtual do Estado de São Paulo – UNIVESP.
Analista fiscal no grupo FK.
Parceiro da Integrale Consultoria Empresarial

Deixe uma resposta

Fechar Menu